A sonda Cassini, projeto da Nasa que investigou Saturno, fez no último dia 15 de setembro seu último mergulho em direção ao planeta.

A manobra a levou ao ponto mais próximo possível do planeta, mas ao mergulhar na atmosfera de Saturno, o satélite foi incendiado e destruído, devido ao atrito. A destruição já havia sido anunciada e colocou fim a uma iniciativa internacional que envolveu 27 países.

Créditos: Nasa/JPL-Caltech/Space Science Institute

Vistas deslumbrantes como esta imagem do lado escuro de Saturno só forma possíveis graças a Cassini

Ao longo de 20 anos, a Nasa estima um investimento total de US$ 3,9 bilhões.

Cassini, a única sonda a navegar a órbita de Saturno, coletou milhares de dados importantes sobre o planeta o 6º do Sistema Solar. Por meio dela, foi possível descobrir oceano sem Titan e Enceladus, duas das luas do planeta de anéis.

A missão é considerada uma das mais promissoras até agora e a comunidade científica da Nasa afirma que os achados da Cassini mudaram não só a visão sobre Saturno e o Sistema Solar como "moldarão futuras missões e pesquisas".

Cassini foi lançada em 1997 a partir de Cabo Canaveral, na Flórida, e chegou a Saturno em 2004. A Nasa estendeu sua missão duas vezes. Ao todo, a sonda recolheu mais de 453 mil imagens e viajou 7,8 bilhões de quilômetros.

Com informações da Agência Brasil e da Nasa