O engenheiro Miguel Díaz-Canel, 57 anos, foi confirmado nesta quinta-feira (19) como novo presidente de Cuba.

Díaz-Canel, que atualmente é o primeiro vice-presidente do Conselho de Estado, vai suceder o Raúl Castro. Ele foi eleito após a deliberação dos 604 deputados na Assembleia Nacional.

Nas últimas seis décadas, Cuba foi governada pelos irmãos Castro: Fidel, que morreu em novembro de 2016 aos 90 anos, e Raúl, que prometeu se aposentar aos 86.

Créditos: Irene Pérez/Cubadebate/Fotos Públicas

O engenheiro Miguel Díaz-Canel foi eleito o presidente de Cuba

Miguel Díaz-Canel será o primeiro líder do país, desde a Revolução Cubana com outro sobrenome e representando uma geração mais jovem do que aquela que pegou em armas para derrubar a ditadura de Fulgencio Batista (1952-1959) e desafiar os Estados Unidos, estabelecendo um regime socialista a 150 quilômetros de sua costa.

A eleição de Díaz-Canel representa o fim de uma era, mas muitos observadores acham que, na prática, pouca coisa mudará na vida dos 11,5 milhões de cubanos: o Partido Comunista de Cuba continua sendo o único e Raúl Castro seu chefe.

Venezuela e EUA

Díaz-Canel assume o país em um momento delicado. A Venezuela, que fornece petróleo e sustentava o regime cubano, hoje enfrenta grave crise econômica, marcada pela hiperinflação, o desabastecimento e o isolamento internacional.

Com a eleição de Donald Trump em 2016, os Estados Unidos recuaram no processo de reaproximação com Cuba iniciada no governo de Barack Obama. O presidente norte-americano limitou viagens e investimentos (dos americanos) em Cuba.

Com informações da Agência Brasil, G1 e Folha